Os encantos da mineira

Paula Fernandes faz show de lançamento do CD Meus Encantos, hoje, na Atlanta Music Hall. Recentemente, ela foi escolhida a melhor cantora de 2012 por leitores da revista Quem e, além de assinar uma linha de sandálias, malha forte com um personal trainer para gravar DVD no final do semestre. A missão de Meus Encantos é repetir a façanha de Paula Fernandes – Ao Vivo que, em pouco mais de cinco meses, vendeu mais de um milhão de cópias. As apostas estão concentradas no carisma da artista. Se ela não superar a marca anterior, com certeza, não vai perder admiradores.

Além da Vida, balada ao violão e piano em estilo folk, com sutil arranjo de cordas, abre o CD com um sentimento new age adequado aos tempos midiáticos, espiritualizados por padres que são galãs e cantores. A voz de Paula Fernandes é uma carícia. O romantismo sobressai em contraponto aos rapazes do sertanejo universitário, que banalizam a relação amorosa na base das ficadas explícitas.

Na pegada country de Aos Olhos do Tempo, aos poucos, o banjo cede espaço ao violão e à guitarra. O coro acentua o parentesco americano, como a chorosa guitarra steel. Barco de Papel segue na levada pop, com Paula Fernandes fingindo ser adolescente como Hannah Montana. “Oh, oh, na, ni, na, na, não” é típico de garotinhas que não conseguem expressar o que sentem com a força das palavras. Ainda mais quando pedem aos namoradinhos que venham tirá-las da solidão.

Céu Vermelho, com viola, sanfona e recitativo no início, viaja para os lados do sertão brasileiro. Paula Fernandes cobre um amplo aspecto da música interiorana, daqui e de lá, onde country quer dizer campo. A canção lembra os primeiros anos de Leandro & Leonardo. Cuidar Mais de Mim é mais uma balada acústica que pende para o pop no refrão. Os versos de sofrimento não descambam para os excessos lamuriosos.

Eu Sem Você, quase uma continuação de Cuidar Mais de Mim, é uma confissão de carência. As músicas são similares às músicas do Ao Vivo. Para que mexer em time que está ganhando, não é verdade? Harmonia do Amor é um título que diz quase tudo. Paula Fernandes veio para falar disso. A participação de Zé Ramalho não ficou boa porque a voz do cantor exala uma personalidade marcante, característica. Não foi um casamento bem sucedido.

Hoy Me Voy tenta cativar audiências latino-americanas com ajuda do colombiano Juanes. A faixa ao vivo admite a intervenção de um sax duvidoso que simula enveredar pela bossa nova. Os duetos deixam algo a desejar em termos de empatia. Long Live, parceria com Taylor Swift à distância, pela familiaridade provocada pela exposição, é mais encantadora do que os encontros com Zé Ramalho e Juanes.

A faixa título, banhada por teclados climáticos e ritmo programado, serve um diferencial ao costumeiro em Paula Fernandes, temas de separação interpretados com delicadeza. Sendo assim, a brejeira Mineirinha Ferveu, que une pontas com a sanfona de Céu Vermelho, é um alívio como a “terra sedenta molhada de chuva” que consta na letra. Alegre e desinibida, Paula Fernandes não discorre sobre a dor causada pelo sumiço do amado. Pelo contrário, deixa entender que espera a iniciativa do mancebo para esticar a festa no rumo dos lençóis.

Na Contramão entra na contramão da Mineirinha e retoma a estrada do amor perdido pelo cara que fez o que não deveria ter feito e colocou tudo a perder. Engraçado ela cantar que só queria um vento norte para guiar o coração do caboclo porque, em 2005, Paula Fernandes gravou Canções do Vento Sul.

Nunca Mais Eu e Você traz uma sonoridade levemente árabe. Nada que elimine a sensação de conhecer a história. Embora a inclusão de um violino enriqueça o arranjo. A faixa é grandiosa e exótica perto das outras. Se o Coração Viajar poderia estar em qualquer disco da Paula Fernandes.

Se for verdade que manter o sucesso é mais difícil que obtê-lo, Meus Encantos é um disco de manutenção do território conquistado. Tem qualidades, mas é prudente. O encerramento, com Versos de Amor, não destoa de tudo que foi dito. Não seria nada mal, portanto, que Paula Fernandes se arriscasse no próximo CD, que fosse além das amenidades românticas, que colocasse a voz a serviço de algo tão ousado quanto o comprimento de suas saias e a profundidade de seus decotes. Os fãs agradecem. Já foram afagados. Precisam de uma sacudida.

Paula Fernandes
Quando:
Sexta-Feira, 22 de Março
Onde: Atlanta Music Hall (BR 153, Km 10. Saída para São Paulo. Fone: 3257-7000)
Horário: 22 horas
Ingresso: R$ 50 (VIP), R$ 100 (Frontstage), R$ 150 (Lounge Premium), R$ 200 (Camarote Empresarial), R$ 500 (Mesa Azul), R$ 700 (Mesa Amarela)

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s