Arquivo do mês: outubro 2015

O molho da reflexão na música

O disco novo que Pádua lança hoje no Teatro Sesi chama-se Molho Pardo. Na capa estão colheres de pau que ele mesmo pintou sobre papel cartão. O nome do disco não é o nome de nenhuma faixa. Embora a relação seja … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

No fio da navalha

A Mulher do Fim do Mundo, primeiro disco de músicas inéditas gravado por Elza Soares, aos 78 anos de idade, em 60 anos de carreira, é uma porta que se abre para um pequeno universo de músicos de vanguarda. Cacá … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Em esferas mais altas

O Centro Cultural Oscar Niemeyer abriga dois eventos simultâneos na noite de hoje. Ambos relacionados com aniversários que também se misturam. Em oito anos, o Curta Mais, que era uma revista, migrou para as redes sociais e ganhou um aplicativo. … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A tradição revisitada

O disco Tamarear, creditado a Milton Nascimento e Dudu Lima Trio, é uma homenagem aos 35 anos do Projeto Tamar. A instituição, com 25 bases no litoral brasileiro, atua na preservação de tartarugas marinhas em risco de extinção. A capa azul … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Meninas poderosas

Ana Cañas tirou a roupa na capa de seu novo disco, Tô na Vida. A foto de Caroline Bittencourt foi tratada para parecer antiga, detonada. A pose da cantora é natural e antiglamour, sem estilizar a nudez com erotismo. A … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Selvagem?

Karina Buhr é instigante. Primeiro, ela fez parte de um grupo, chamado Comadre Fulozinha, que retrabalhou o folclore pernambucano com liberdade criativa. Em carreira solo, Karina lançou títulos sugestivos, Eu Menti pra Você e Longe de Tudo. O terceiro, Selvática, … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Leão na pele do Lagarto

“I’m the Lizard King/ I can do anything” (“Eu sou o Rei Lagarto/ Eu posso fazer qualquer coisa”). Os versos de Celebration of the Lizard são recitados por Jim Morrison e misturados com os versos de Wake Up no álbum … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário