Como inventar um festival de rock

O assunto da semana, para mim, não foi o julgamento do habeas corpus do Lula nem a discussão entre Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes no STF nem o Lollapalooza em São Paulo. O assunto da semana, para mim, foi o Festival DQD. Fake news, para falar a verdade. O festival não existe e, em sua escalação, tem bandas que também não existem.

Tudo começou, claro, com uma brincadeira. Durante o programa, enquanto falávamos sobre a corrupção cotidiana do brasileiro médio, Henrique Morgantini perguntou: “qual seria a origem do caos?”. Eu disse, depois das considerações de todo mundo, que A Origem do Caos é o nome da melhor banda que jamais terei na vida. Este foi o start.

Em seguida, quando o assunto era uma organização que procura renovar os quadros da nossa política, um ouvinte mandou um áudio afirmando que a organização não passava de uma escola de Dorias, referindo-se, naturalmente, ao prefeito João Doria. Embalado, eu disse, mais uma vez, que Escola de Dorias era um excelente nome para uma banda.

Nesse momento, alguém transformou Pitadas de Psicopatia, do desabafo de Luís Roberto contra Gilmar Mendes, em uma banda punk. Mais tarde, quando uma ouvinte que alardeava a morosidade da Justiça lascou um “certames absurdos” no ar, nós tínhamos certeza de que este seria o nome de mais uma banda famosa no underground.

Foi assim que surgiu o Festival DQD, que aconteceria, a princípio, no Martim Cererê. Mas decidimos que o DCE da UFG seria o lugar ideal. Nosso colega de bancada, Marcilon Almeida, que é professor de Design, foi encarregado de confeccionar o cartaz. Ele preparou uma pequena obra-prima da tosqueira, que pode ser vista no Facebook.

Com um pequeno detalhe maravilhoso. Pitadas de Psicopatia foi escrito como Pitadas de Pisicopatia. Ora, punks estão pouco se lixando para a gramática. Mas o Marcilon é acadêmico e deve ter ficado pouco à vontade com o erro proposital. Quis mudar. Até mudou. Mas o conselho do Festival recusou a correção. Viva Pitadas de Pisicopatia.

Ok, se essa galera é punk da velha escola, o que seria a Escola de Dorias? New wave. Segundo Morgantini, com uma mulher nos teclados. Segundo eu mesmo, como se fosse na linha Devo. A Origem do Caos é uma banda neo hippie, de som psicodélico, que segue as pegadas dos Black Crowes. Os Certames Absurdos ficaram indefinidos.

Optamos por um perfil empolado, do tipo que não busca o sucesso, mas sacudir o sistema. Uns caras metidos a besta que, além do mais, não tocam nada com nada. Essa brincadeira toda aconteceu no dia da morte do Carlos Eduardo Miranda. A gente ficou sabendo disso na sexta-feira. Mas foi uma coincidência extremamente saudável.

Carlos Eduardo Miranda era dos festivais independentes e das bandas alternativas. Sem querer, nossa zoeira inocente serve de homenagem a um cara conhecido por sua alegria.

Este texto também foi publicado no site da Interativa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s